Governo negocia doses, mas vacinação contra varíola dos macacos deve ser restrita

Brasil registra 192 mortes por Covid e mais de 32 mil casos
26 de julho de 2022
A exclusão das mulheres afrodescendentes na América Latina
26 de julho de 2022
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta segunda-feira (25) que não há previsão de vacinar toda a população contra a varíola dos macacos (monkeypox) e que a prioridade deve ser o isolamento dos casos confirmados e orientações sobre as formas de contágio.

Como mostrou a Folha, o Brasil negocia a compra da vacina com a Opas (Organização Pan-Americana da Saúde), mas a ideia é imunizar apenas os profissionais de saúde que lidam diretamente com o vírus, como aqueles que trabalham em laboratórios.

“A maior parte, quase a totalidade dos casos, foi identificada em homens que fazem sexo com homens. Isso não é para estigmatizar essas pessoas. Apenas para que tenhamos mais precauções, até porque isso pode se expandir para outros grupos, crianças, gestantes”, afirmou Queiroga.
Leia mais (07/25/2022 – 20h43)

Os comentários estão encerrados.