Instituto da USP lava roupa suja e mantém licença remunerada a defensor do ‘gabinete das sombras’

Ministérios defendem ensino domiciliar para crianças com deficiência
15 de julho de 2021
O hic e o sic entram num bar
15 de julho de 2021
O Instituto de Ciências Biomédicas da USP decidiu lavar a roupa suja nesta terça-feira (13). Em reunião fechada, professores e alunos repudiaram a decisão da direção de conceder uma licença remunerada a Paulo Zanotto, defensor do chamado tratamento precoce e célebre por sugerir ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a criação de um “gabinete das sombras”.
Leia mais (07/14/2021 – 16h17)

Os comentários estão encerrados.